Perturbações da Linguagem

Sinais de Alerta

 

Como pai ou mãe, deve estar atento aos sinais que o seu filho vai dando de que algo poderá não estar bem com o desenvolvimento da linguagem.
Para isso, importa que tenha sempre em mente que uma perturbação de linguagem pode ser compreensiva e/ou expressiva e ainda ser ao nível da linguagem falada e/ou escrita, em função da etapa de desenvolvimento e idade cronológica em que se manifesta.

No entanto os primeiros sinais de alerta podem surgir em idades bastante precoces:

  • Não sorri, não interage com os outros, não é reciproco nas primeiras trocas de sons entre pais e filhos (até aos 3 meses)
  • Não palra (entre os 4 e os 7 meses)
  • É um bebé silencioso, produz poucos sons (7 aos 12 meses)
  • Não diz ou diz poucas palavras (12 a 18 meses)
  • Não junta palavras para formar pequenas frases (18 a 24 meses)
  • Diz menos de 50 palavras (24 meses)
  • Evita e/ou tem dificuldade em falar e/ou brincar com outras crianças da mesma idade (entre os 24 e os 36 meses)
  • Não mostra interesse por livros, histórias e desenhos (30 e 36 meses)
  • Tem um discurso difícil de entender mesmo para os familiares mais próximos. O discurso é diferente do das crianças da mesma idade. Troca, distorce e/ou omite sons (entre os 36 meses e os 5 anos)

     

Nestas situações, ajude o seu filho:

  • Oiça, valorize tudo o que ele lhe diz e todos os sons que ele faça, mesmo que não sejam palavras. Responda sempre e contextualize.
  • Fale, leia e brinque muito.
  • Tenha em mente que uma segunda língua não causa problemas de linguagem. Se é bilingue, fale com o seu filho na língua em que, você pai, se sente mais confortável.
  • Fale, converse sobre o que está a fazer e narre o que o seu filho está a fazer.
  • Use várias palavras, estimule.
  • Vá usando frases mais compridas e complexas à medida que o seu filho cresce. Não fale “à bebé”.
  • Fale de forma correta, produza bem os sons, servirá como modelo. Não corriga a forma como o seu filho diz as palavras. Em alguns casos poderá ser mais importante estimulá-lo a falar do que a falar bem.
  • Promova o contacto com outras crianças, ajude-o, incentive-o a brincar com os outros, mesmo que o seu nível de linguagem seja diferente.

 

Esteja atento e valorize estes sinais, poderá não haver razão para alarme, mas caso exista, o Terapeuta da Fala irá ajudá-lo. A intervenção precoce, em muitas destas situações poderá fazer a diferença no prognóstico do seu filho.