PHDA em Idade Escolar

Principais Características/Dificuldades

 

Com a entrada na escola, e devido ao aumento das exigências do contexto, os sinais/sintomas da PHDA tornamse mais evidentes, havendo por isso, uma maior frequência de comportamentos disruptivos.

Identificamos em seguida algumas das principais caraterísticas e dificuldades sentidas pelas crianças em idade escolar com PHDA e pelos seus pais e professores. Estas dificuldades são transversais aos diversos contextos.

 

A criança com PHDA:

  • por vezes, exibe comportamentos pouco adequados (p. ex. não respeita o espaço interpessoal, não deixa os outros falarem);
  • os seus comportamentos de excesso de atividade motora e vocalizações constantes, fazem com que possam ser intrusivos na relação com os outros, o que pode levar a rejeição;
  • têm facilidade em fazer amigos, mas dificuldade em mantê-los;
  • devido aos seus comportamentos desajustados, vivem ciclos de insucesso escolar e experiências/interações negativas, que podem conduzir a sentimentos de incompetência e baixa autoestima.

 

Em casa:

  • são crianças mais “exigentes” do que os seus pares;
  • necessitam de muita supervisão nas atividades diárias;
  • são pouco autónomas na realização dos trabalhos de casa;
  • frequentemente, não respondem aos primeiros pedidos dos pais e não colaboram nas tarefas;
  • fazem mais “birras” do que outras crianças da mesma idade;
  • têm dificuldades na relação com os irmãos;
  • são desorganizadas com as suas coisas/espaços – é frequente terem quartos, roupeiros,...desorganizados.

Todos estes comportamentos podem ser geradores de frustração e stress parental, podendo ter um impacto significativo nas interações entre os vários membros da família.

 

Na escola

Devido às suas dificuldades de autorregulação, no contexto escolar a criança com PHDA apresenta dificuldades como:

  • permanecer sentada e sossegada – levanta-se e anda pela sala, distrai e perturba os colegas, fala excessivamente e, por vezes, muito alto;
  • responder na sua vez – responde sem levantar o braço, não dando, muitas vezes, a oportunidade aos colegas;
  • seguir instruções - por vezes, parece não ouvir quando se lhes fala diretamente;
  • permanecer atenta, sobretudo em tarefas que exijam um esforço mental prolongado;
  • persistir nas tarefas e terminá-las;
  • reter a informação, à medida que vai realizando uma tarefa – memória de trabalho;
  • inibir comportamentos, o que pode conduzir a dificuldades nas habilidades de organização e planeamento, bem como a um maior número de erros cometidos nas respostas dadas;
  • inibir e esperar, que podem ser responsáveis pelo facto de não solicitarem ajuda, quando necessitam;
  • cumprir regras;
  • antecipar consequências e ajustar o comportamento às situações/contexto;
  • cooperar, resolver situações-problema, lidar com a frustração - competências sociais;
  • brincar de forma sossegada.

É também frequente observar:

  • secretárias e mochilas desarrumadas;
  • cadernos, cacifos e espaços próprios desorganizados;
  • materiais dispersos e perdidos.