História | João, 12 anos

Hoje, o João consegue dizer muitas coisas que o fazem feliz, entre as quais, viver.

Há um ano, quando começou a vir ao CADIn, só a muito custo se lembrava de coisas alegres.

O João queria muito ter boas notas e ficar nos primeiros lugares nos campeonatos do seu desporto de eleição, o golfe. Por querer tanto fazer bem estas coisas, ficava com a sensação de ter mil borboletas no estômago. As borboletas distraíam-no e acabava por não conseguir fazer tão bem quanto sabia fazer. Com os nervos, vinha a tristeza e o João, sem saber como mandar estes sentimentos embora, batia em si próprio.

Com a ajuda da psicóloga foi aprendendo a controlar estes sentimentos. Começou por aprender a manter a calma nos testes e, como que por magia, melhorou a nota em 40%. Depois, aprendeu que falar é o melhor remédio para a tristeza. Experimentou este “remédio” primeiro com a psicóloga e correu tão bem que agora fala sobre os seus sentimentos com os pais e com os amigos.

As coisas que aprendeu no CADIn ajudaram-no a ser um bom aluno, sobretudo a matemática e ciências, e a conquistar o título de vice-campeão de golfe.

Agora, o desejo que mais quer ver realizado é “sentir alegria de viver todos os dias”.

Apoie o CADIn

O CADIn é uma IPSS e os seus projetos de intervenção social dependem exclusivamente do apoio de particulares e empresas.
Conheça aqui as algumas formas de ajudar.