Intervenção Social – Bolsa Social

Intervenção Social

A Bolsa Social é um fundo constituído por doações que comparticipa o custo do acompanhamento quando as famílias não têm condições económicas para o suportar sozinhas ou em casos de crianças e jovens institucionalizados.

Pode solicitar a atribuição de uma Bolsa Social através de uma candidatura que permita avaliar a sua situação socioeconómica. Para além da análise desta documentação segundo critérios definidos previamente, a equipa do CADIn irá procurar conhecer também a situação social da sua família, para que a decisão seja tão justa quanto possível.

Para fazer a sua candidatura terá de:
• Preencher a Ficha de Candidatura/Renovação, onde é solicitada informação acerca da identificação e composição do seu agregado familiar e respetivos rendimentos, juntamente com um consentimento informado para tratamento dos dados pessoais.
• Entregar a sua candidatura no balcão da receção do CADIn (Cascais, Lisboa ou Setúbal), enviar por correio ou por email (bolsa.social@cadin.net).
• Comparecer a uma entrevista com a assistente social, que será posteriormente agendada após a receção da candidatura e na qual serão analisados os documentos comprovativos de rendimentos e despesas do agregado, que deverá trazer nesse dia.

As candidaturas são avaliadas segundo critérios pré-definidos que procuram tornar justa e equitativa a atribuição do apoio, com o objetivo de beneficiar aquelas que têm maiores carências.

As perturbações neurológicas e mentais são um dos principais problemas de saúde pública em Portugal:
• Afetam 10 a 20% da população entre os 0 e os 18 anos de idade
• São a principal causa de incapacidade entre os mais jovens
• 70% dos adultos com um problema de saúde mental teve os primeiros sintomas antes dos 18 anos

A intervenção, sobretudo quando iniciada precocemente:
• Contribui para que a criança/jovem consiga superar dificuldades que encontra no seu dia-a-dia, seja na escola, em casa, na relação com os pares e possa utilizar todo o seu potencial, aproveitando a maior plasticidade do cérebro na infância para conseguir melhores resultados
• Diminui as comorbilidades, já que existe uma relação entre as perturbações do neurodesenvolvimento e as perturbações psiquiátricas que é agravada pelo diagnóstico e intervenção tardia nas primeiras
• Melhora o bem-estar da criança/jovem e da sua família

As perturbações do neurodesenvolvimento têm um elevado custo económico e social, tanto direto como indireto:
• O custo direto da intervenção é elevado porque esta é realizada por técnicos especializados, tem que ser regular e, na maioria dos casos realizada individualmente
• O financiamento público é insuficiente, pelo que grande parte do custo da intervenção recai sobre as famílias
Entre os custos indiretos estão, a perda de produtividade tanto do próprio como dos cuidadores

As famílias com menores recursos económicos e as instituições de acolhimento de crianças e jovens têm grande dificuldade em garantir o necessário acompanhamento dos seus filhos ou das crianças e jovens à sua guarda devido ao custo da intervenção.
Para garantir que estas famílias têm acesso em condições de igualdade ao acompanhamento de que necessitam, a Bolsa Social comparticipa nos custos com consultas, avaliações e sessões de intervenção.

A decisão de atribuição de uma Bolsa Social é independente da avaliação clínica, sendo feita por uma equipa com base numa candidatura apresentada pela família e tendo em conta a sua situação económica e social.

O apoio é concedido para um ano letivo e compreende todas as consultas, avaliações e sessões de terapia que sejam necessárias nesse período.

• Aldeias SOS – Alcabideche
• Associação Mimar
• Associação Novo Futuro
• Casa dos Rapazes de Setúbal
• Casa dos Rapazes da Parede
• Centro Jovem Tabor
• Centro Social de S. Pedro do Afonsoeiro – Centro de Acolhimento de Crianças em Risco Social “Sol dos Meninos”
• Crescer Ser – Casa da Encosta e Casa do Parque
• Questão de Equilíbrio – Lar de Infância e Juventude 1 de junho
• Santa Casa da Misericórdia de Cascais – Centro de Acolhimento Temporário de Tercena
• Santa Casa da Misericórdia de Sines – Lar Âncora e Centro de Apoio à Vítima “Mãe Sol” e “Lar a Âncora”

No ano de 2021, a Bolsa Social apoiou:

195

Apoiou 195 pessoas beneficiárias da Bolsa Social.

93

Vivem com as famílias.

102

Estão à guarda de instituições.

11

Instituições Apoiadas.

Este projecto precisa muito da ajuda de todos em donativos, só assim conseguimos ter o número suficiente de bolsas sociais.

Consulte aqui os nossos Termos de Utilização & Política de Privacidade